Dirigentes do Sistema CrediSIS definem planejamento estratégico


Representantes do Sistema CrediSIS, especialmente dirigentes e técnicos, se reúnem neste sábado (10.12.2016), em Ji-Paraná, para concluir o planejamento estratégico para os próximos três anos. O trabalho foi executado no decorrer deste ano e contou com a participação ativa de todas as cooperativas filiadas a CentralCredi, através de diversos encontros, vislumbrando o potencial existente na sua área de ação e a necessidade de reposicionamento estratégico para alcançar os objetivos propostos. 

A programação do encontro inclui palestra do chefe de supervisão do Banco Central, Edilson Rodrigues de Sousa e de outros especialistas da área do cooperativismo de crédito. O encontro servirá também para comemorar os resultados positivos alcançados pelo Sistema durante o ano de 2016.

Durante o encontro realizado em Ji-Paraná, deverá ser apresentado também, o projeto de expansão do Sistema CrediSIS, presente hoje nos estados de Rondônia, Acre e Pará. “Depois de alcançar um crescimento na ordem de 30% nos últimos anos, o Sistema CrediSIS quer continuar crescendo e para isso prepara-se para levar esse modelo de negócio de sucesso também para os Estados do Amazonas e Mato Grosso”, disse o vice-presidente Vornei Bernardes da Costa.

O Sistema CrediSIS foi criado há cerca de 16 anos, por um grupo de 25 empresários do ramo da agricultura e pecuária do Estado de Rondônia. “Primeiro criamos uma cooperativa na cidade de Ji-Paraná, depois em Cacoal, Rolim de Moura e Urupá e três anos depois surgiu a central”, informou o presidente Gilberto Borgio.

Nesses 16 anos, segundo o presidente, houve um avanço muito grande, tanto na organização sistêmica, quantidade de produtos e serviços oferecidos, quanto na aceitação por parte da população. Outra mudança positiva ocorrida nesse período, segundo ele, diz respeito ao aumento da confiança na segurança do cooperativismo de crédito. “Há as auditorias do próprio sistema e as do Banco Central. Além disso, os recursos do cooperado estão garantidos pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito, o que mostra que temos todas as obrigações que as demais instituições financeiras têm em termos de segurança”, afirmou. 

Texto: Eli Batista.